Scroll to top

Açores empenhados no desenvolvimento do Programa Regional de Ordenamento Florestal

No âmbito do Dia Internacional das Florestas que se comemora a 21 março, o secretário Regional da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, António Ventura, participou numa ação de plantação de árvores, no concelho de Angra do Heroísmo (Terceira, Açores).

As comemorações desta data, organizadas pelos serviços florestais da tutela, contam habitualmente com a participação de alunos de diferentes escolas, com o intuito de sensibilizá-los para uma gestão sustentável das florestas e para a importância da floresta Laurissilva, constituída por espécies endémicas da região da Macaronésia – Açores, Madeira, Canárias e Cabo Verde.

A floresta suporta na Região Autónoma dos Açores um sector económico responsável por 1.400 postos de trabalho, gerando um volume de negócios anual de cerca de 1,8 milhões de euros, pela venda direta de material lenhoso, e de 10,9 milhões de euros, quando contabilizado ao nível do sector industrial da primeira transformação.

Com a alteração atual das exigências do consumo dos cidadãos, os vários agentes da fileira florestal estão a “adaptar-se” a uma nova realidade “redefinindo prioridades e alinhando novas estratégias”, conforme referiu o secretário Regional, António Ventura, durante a ação em que participou.

António Ventura defendeu ainda que a Certificação da Gestão Florestal, implementada pelo Governo dos Açores na ilha de São Miguel, é “fundamental neste processo”.

Esta certificação garante que os produtos florestais colocados no mercado têm origem em florestas geridas de forma responsável, o que “contribui para contrariar” o flagelo da destruição florestal a nível global.

Para o secretário Regional da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, a floresta assume um papel importante na “prestação de diversos serviços ecos sistémicos”, nomeadamente na conservação dos solos, na regulação e melhoria da qualidade dos recursos hídricos, na conservação da biodiversidade, na manutenção da paisagem e no sequestro de carbono.

Fonte: Revista Agricultura e Mar

Publicar um comentário