Scroll to top

Governo dos Açores assinala Dia Mundial das Zonas Húmidas em todas as ilhas

A Secretaria Regional da Energia, Ambiente e Turismo, através da Direção Regional do Ambiente, vai realizar diversas atividades de sensibilização e educação ambiental em todas as ilhas, integradas nas comemorações do Dia Mundial das Zonas Húmidas, que se assinala a 2 de fevereiro e este ano é dedicado ao tema “Biodiversidade e Zonas Húmidas”.

Estas ações, dinamizadas pelos serviços educativos dos Parques Naturais dos Açores, incluem saídas de campo para observação destes locais e a plantação de espécies endémicas, entre outras iniciativas.

No sábado, 1 de fevereiro, destaque para a realização, no Faial, da atividade “Canyoning no Parque”, com uma descida em desfiladeiros, seguindo o curso de uma ribeira, que pretende proporcionar uma envolvência com a bio e a geodiversidade locais.

Na Terceira, no mesmo dia, decorre a “Caminhada RAMSAR”, com um passeio interpretativo às Furnas do Enxofre, local classificado como Monumento Natural e parte integrante do sítio Ramsar ‘Planalto Central da Terceira’.

No Corvo, a 2 de fevereiro, vai decorrer uma palestra sobre a importância das zonas húmidas e da preservação destes habitats, tendo como tema “Caldeirão – um Sítio Ramsar”, no Centro de Interpretação de Aves Selvagens.

Nas Flores, também no domingo, realiza-se “Um Passeio por Zonas Húmidas”, através de um percurso pedestre para observação da Lagoa Funda, acompanhado de explicações sobre a importância da preservação dos recursos hídricos.

Neste dia vão também decorrer atividades no Pico, com uma plantação de endémicas, e em São Jorge, com o percurso pedestre “Pelo olhar de um Vigilante da Natureza”, onde serão explicadas as caraterísticas da área protegida a visitar.

Por coincidir com o Dia Nacional do Vigilante da Natureza, muitas das ações previstas são dinamizadas por estes profissionais, destacando a sua missão na monitorização e vigilância da Rede de Áreas Protegidas dos Açores.

Ainda em São Jorge, mas no dia 3 de fevereiro, realiza-se uma saída de campo à Fajã dos Cubres onde se vai abordar a fauna e flora locais, dando ênfase à zona húmida.

A partir de segunda-feira e até 28 de fevereiro, na Graciosa, vão realizar-se saídas de campo para recolha e análise de amostras de água de diferentes proveniências, como água da torneira, dos chafarizes dos tanques, dos poços e da Furna da Água, sob o tema “Reservas de Água”.

Além destas saídas, destinadas aos ATL locais, durante a próxima semana vai ainda decorrer nesta ilha uma visita guiada à Furna do Enxofre e a dinamização, através do Parque Escola, de  mais uma atividade denominada “Tabuleiro das Zonas Húmidas dos Açores”.

Em São Miguel, na mesma data, realiza-se um percurso pedestre da Loja do Parque até ao Túnel das Sete Cidades, para observação da biodiversidade local do Sítio Ramsar do Complexo Vulcânico das Sete Cidades.

Em Santa Maria, a 8 de fevereiro, vão ter lugar “Aventuras e Descobertas” no Pico Alto, num percurso pedestre no ponto mais alto da ilha planeado para famílias e com o objetivo de promover a observação da bio e geodiversidade locais.

Nos Açores foram oficialmente designadas 13 Zonas Húmidas de Importância Internacional pela Convenção Ramsar, nomeadamente o Caldeirão do Corvo, o Planalto Central das Flores (Morro Alto), a Caldeira do Faial, o Planalto Central do Pico (Achada), o Planalto Central de São Jorge (Pico da Esperança), as Fajãs das Lagoas de Santo Cristo e dos Cubres, em  São Jorge, a Caldeira da Graciosa (Furna do Enxofre), o Planalto Central da Terceira (Furnas do Enxofre e Algar do Carvão), o Paul da Praia da Vitória, o Complexo Vulcânico das Furnas, o Complexo Vulcânico das Sete Cidades, o Complexo Vulcânico do Fogo, os Ilhéus das Formigas e o Recife Dollabarat, totalizando uma área de aproximadamente 13 mil hectares.

Todos estes sítios, à exceção do Paul da Praia da Vitória, encontram-se inseridos na Rede de Áreas Protegidas dos Açores e são geridos pela Direção Regional do Ambiente, através dos Parques Naturais de Ilha.

O Dia Mundial das Zonas Húmidas resulta da Convenção sobre Zonas Húmidas, geralmente conhecida como Convenção de Ramsar, por ter sido adotada a 2 de fevereiro de 1971 nesta cidade iraniana, e visa promover a cooperação internacional e incentivar a conservação e o uso sustentável das zonas húmidas.

Portugal homologou a Convenção em 1980 e tem 31 Zonas Húmidas de Importância Internacional classificadas ao abrigo deste tratado (sítios Ramsar), incluindo as que se localizam no arquipélago dos Açores.

Entre os serviços ecossistémicos prestados pelas zonas húmidas destacam-se o abastecimento dos aquíferos e a filtragem natural dos recursos hídricos, a prevenção de fenómenos climáticos, tanto de cheias, como de secas, e os recursos em biodiversidade, geodiversidade e paisagísticos de elevado valor económico, científico, cultural e recreativo.

Às ações promovidas diretamente pela Direção Regional do Ambiente, e desenvolvidas pelos Parques Naturais de Ilha, associam-se diversas entidades, como municípios, escolas e organizações não governamentais, envolvendo um vasto público escolar e as comunidades.

Para conhecer melhor as Zonas Húmidas dos Açores e o calendário de eventos, os interessados podem consultar o portal oficial da Convenção de Ramsar, em http://ramsar.org/, assim como os diversos portais temáticos da Direção Regional do Ambiente: http://educarparaoambiente.azores.gov.pt ; http://siaram.azores.gov.pt/vegetacao/zonas-humidas/_intro.html e http://www.azores.gov.pt/Gra/srrn-natureza/menus/secundario/Áreas+RAMSAR/.

Publicar um comentário