Scroll to top

Açores ultrapassam em junho incentivos à mobilidade elétrica atribuídos em 2021

O Governo Regional dos Açores atribuiu incentivos para a aquisição de 170 veículos elétricos e 46 postos de carregamento no primeiro semestre de 2022, um número que supera os valores registados em 2021.

Entre janeiro e junho de 2022, foi apoiada nos Açores a aquisição de 170 veículos elétricos (147 automóveis ligeiros e 23 velocípedes com motor) e 46 pontos de carregamento “num montante total superior a 423 mil euros”, revelou a direção regional da Energia.

Estes números superam os valores totais de 2021, segundo o relatório de execução dos incentivos à mobilidade elétrica, disponível no Portal da Energia dos Açores.

No total, o executivo açoriano recebeu, em 2021, 130 candidaturas elegíveis (67 de São Miguel, 56 da Terceira, três do Pico, duas de Santa Maria, uma do Faial e uma da Graciosa), tendo atribuído cerca de 305 mil euros.

O incentivo permitiu a aquisição de “99 veículos ligeiros, 33 pontos de carregamento, 14 velocípedes com motor e um triciclo motorizado ou quadriciclo”.

Segundo o relatório, com a atribuição destes incentivos, “foram evitadas as emissões de pelo menos 149,8 toneladas de CO2”, em 2021.

O sistema de incentivos financeiros à aquisição de veículos elétricos e de pontos de carregamento nos Açores foi alterado no início de 2021.

Os apoios podem chegar a 4.550 euros, caso se apliquem todas as majorações disponíveis, no caso da aquisição de veículos automóveis ligeiros, por parte de singulares.

A aquisição de pontos de carregamento de veículos elétricos pode ser comparticipada até 500 euros.

Segundo a Diretora Regional da Energia, Joana Rita, o executivo açoriano “tem priorizado políticas que visam a redução da emissão de gases com efeito de estufa, diminuindo, em simultâneo, a dependência externa de combustíveis fósseis”.

Joana Rita, que participou numa sessão pública ‘online’ subordinada ao tema ‘Mobilidade Elétrica nos Açores — Ponto de Situação e Novos Desafios’, organizada pela Direção Regional da Energia, em parceria com a Agência para a Energia (ADENE), defendeu que as políticas públicas são “especialmente relevantes no contexto atual” do mundo.

O evento foi precedido de uma reunião de trabalho com diversas entidades regionais e nacionais, onde se debateu o ponto de situação da transição energética dos transportes públicos regionais.

Foi também abordado o projeto europeu EMOBICITY, cofinanciado pelo programa ‘Interreg Europe’, que a Direção Regional da Energia integra, com vista à melhoria das medidas regionais de apoio à mobilidade elétrica.

Fonte: Lusa

Publicar um comentário